domingo, 16 de maio de 2010

NOSTALGIAS

.

Fotografias / Sentidamente
Os meus velhos não têm idade!
Vejo-os com os olhos bem abertos,
À luz de ontem…
Não dum olhar gasto, enrugado, esquecido…
Os meus velhos nunca serão velhos!
Só assim, perdurará a criancinha que fui,
no conforto de sabê-los lá.

A casa não ficou velha!
Não derruiu um pouco em cada ano.
Não pode ser verdade!
Ainda vislumbro o sonho do seu reviver,
Por entre as brumas dum tempo cinzento…

Mesmo as lajes do cemitério,
Que escondem os queridos,
Não são reais… Não podem ser reais…
Eles estão ainda nos longínquos lugares,
Vivos de memórias…
Deixando um rasto inapagável.

Jesus Varela

7 comentários:

  1. Minha querida
    As nossas raizes nos trazem tantas recordações.
    Adorei o poema.

    beijinhos
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  2. No meio de todos os seres existentes na terra, temos a possibilidade de reter no nosso coração as recordaçoes plenas de luz, vividas por nós e por aqueles que conhecemos e amamos.

    Um abraço apertado,
    Teresinha*_*)

    ResponderEliminar
  3. Que bom o reencontro com a amiga, a poesia, as raízes...estou de volta e sempre atenta.GOSTO!
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  4. Tal como pedras que teimam em resistir, caminhamos em passos luxuriantes de memórias-meninas abraçando o tempo. Também eu querida "sentidamente" vivo com essa criança que os anos não matarão! Obrigada.
    Um grande bjo.

    ResponderEliminar
  5. hi.. just dropping by here... have a nice day! http://kantahanan.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  6. São árvores, são pedras, são lugares, etc...

    Na verdade há tanta coisa que, não sendo eterna, nos proporciona, com a sua existência, tudo o que recordamos quando meninos que fomos e somos.

    Na verdade a velhice não tem idade mas sim vida.

    Bj

    ResponderEliminar
  7. Caros visitrantes:

    Através dos comentários deixados, concluo que todos nos prendemos de alguma forma a esses longínquos tempos, nos promórdios da nossa vida e àqueles que lá estiveram, marcando cenários inesquecíveis. Quando assim reflecti e registei, pensava sobretudo numa das minhas idosas, entretanto já ausente para sempre, deixando-me mais pobre de presenças mas igualmente rica de lembranças.

    Bonita e consoladora é essa frase, “segredos”, “ A velhice não tem idade mas sim vida”.

    A todos, o meu obrigado.

    ResponderEliminar